Arquivo da tag: Linguagem

  1. A inclusão que ensina

    Deixe um comentário

    janeiro 9, 2017 por davidepompermaier

    Publicado no site: https://novaescola.org.br em julho de 2009 por Daniela Talamoni Verotti e Jeanne Callegari “Matheus Santana da Silva, 14 anos, autista, estuda …
    Continue lendo

  2. Brincanto – autismo tamanho família

    Deixe um comentário

    setembro 2, 2016 por davidepompermaier

    BRINCANTO – AUTISMO TAMANHO FAMÍLIA / Mariene Martins Maciel / Argemiro de Paula Garcia Filho A obra apresenta a abordagem …
    Continue lendo

  3. AUTISMO: uma abordagem tamanho família

    Deixe um comentário

    setembro 2, 2016 por davidepompermaier

    Mariene Martins Maciel Jornalista com especializações em História e Psicopedagogia, diretora da Afaga (Associação de Familiares e Amigos da Gente …
    Continue lendo

  4. Percepção musical em crianças autistas: melhora de funções interpessoais

    Deixe um comentário

    agosto 26, 2016 por davidepompermaier

    Estudos sugerem que as áreas do processamento da linguagem em indivíduos autistas têm ativação reduzida. Além disso, estes apresentam anormalidades …
    Continue lendo

  5. Mais do que palavras

    Deixe um comentário

    agosto 24, 2016 por davidepompermaier

    Mais do que palavras é um guia para ajudar os pais a promoverem a comunicação e as habilidades sociais em crianças …
    Continue lendo

Transtorno e sintoma

A noção de transtorno é o que unifica o campo das terapias cognitivo-comportamentais.

Etimologicamente, transtorno significa tanto situação imprevista e desfavorável como situação que causa incômodo para alguém.

Só resta saber quem é o incomodado, se o terapeuta cognitivo-comportamental ou se o sujeito que é submetido ao seu tratamento.

O verbo transtornar, por sua vez, significa tanto modificar a ordem, pôr outra ordem em funcionamento, quanto provocar desordem.

Em inglês, que é o idioma oficial dessa prática, também é evocado o sentido de desordem: disorder.

Em francês, por sua vez, tem uma conotação interessante: trouble tem o sentido de uma perturbação política.

Mas podemos considerar que todas essas acepções de transtorno, quando tomadas por práticas que se julgam objetivas e que pretendem estabelecer jurisdição sobre as práticas, pressupõem três aspectos:

1. O transtorno é uma perturbação da ordem a ser seguida;

2. Se há uma ordem a ser seguida, há a necessidade de adaptar-se a essa ordem;

3. O transtornado é alguém que sofre de um déficit de competências em relação aos outros sujeitos que se adaptaram a essa ordem.

Retomamos aqui a questão que colocamos no início: quem é mais afetado pela desordem, o paciente ou o terapeuta?

TRANSTORNO, SINTOMA E DIREÇÃO DO TRATAMENTO PARA O AUTISMO

Roberto Calazans

Clara Rodrigues Martins