Como a Disbiose intestinal afeta sua vida e como tratá-la

em 09/22/2014

A alimentação pode ser considerada como um dos fatores comportamentais que mais influencia a qualidade de vida das pessoas. Nossa conduta adequada diante da alimentação fez-se necessária, pois os hábitos alimentares e o estilo de vida, nos últimos 40 anos, passaram por diversas modificações, sobrecarregando os diferentes sistemas do organismo.

A ingestão do alimento não garante que seus nutrientes estarão biodisponíveis para serem utilizados pelas células. Neste contexto, o intestinos são órgãos de vital importância no nosso corpo. Funcionam como filtros, capazes de permitir ou barrar a entrada de nutrientes necessários ao organismo e de substâncias prejudiciais para a nossa saúde. É preciso nutrir o organismo adequadamente, isto é, ter uma ingestão adequada de alimentos, em quantidade e qualidade, afim de que nosso organismo receba todos os nutrientes essenciais ao seu bom funcionamento e ainda garantir que estes alimentos sejam bem digeridos, absorvidos e utilizados. Este processo é fundamental para determinar o melhor estado físico, mental e emocional.

Leia mais aqui.

Anúncios

A Conexão Intestino – Cérebro

Publicado no site: http://www.medicinadoestilodevida.com.br

04/06/2014 Por Dr. Alexandre Feldman · (Última Atualização: 08/11/2014)

A Íntima Relação entre Intestino, Comportamento, Mente e Cérebro

O intestino determina, em grande parte, nossas emoções, estado mental e até preferências alimentares. Da saúde do intestino depende a saúde do cérebro.

À primeira vista essas afirmações podem parecer irreais – mas não são. Considere os seguintes fatos:

O intestino tem mais neurônios que a medula espinhal – cerca de 100 milhões – perdendo apenas para o cérebro em número de neurônios.

Leia mais aqui.

O que é a dieta “GAPS” para autistas?

Publicado no blog: http://pat.feldman.com.br/
by PAT FELDMAN on 01/12/2008

Hoje em dia problemas como autismo, síndrome do déficit de atenção, dispraxia, dislexia, problemas gerais de comportamento e aprendizado,, hiperatividade, alergias, asma, eczema, etc têm atingido níveis assustadores, epidêmicos. Mais do que isso, esses problemas aparentemente não relacionados, normalmente aparecem simultaneamente num mesmo paciente. Dificilmente uma criança sofre de apenas um desses problemas isoladamente. Sofrimento em dobro para pais, mães e principalmente para a criança.    

Crianças autistas em geral sofrem com hiperatividade e a mairia sofre de alergias gravez, asma, eczema dispraxia e dislexia.

Com tantas acontecendo num mesmo organismo, é impossível não suspeitar de que haja alguma ligação entre cada um desses problemas. Não é possível que seja apenas uma criança azarada, que concentrou nela todas as doenças possíveis.

A medicina moderna criou diversos diagnósticos separados, separou as crianças em “caixas de sintomas”. Mas as crianças de hoje em dia não se encaixam em apenas uma caixa, elas sofrem de vários sintomas ao mesmo tempo… Como explicar isso? Como curar isso?

Leia aqui.

Quer saber mais sobre a dieta gaps: veja o site da Dra. Natasha Campbell Mc-Bride (não disponível em portugês – inglês, francês, espanhol, italiano…)

O livro da Dra. Natasha Campbell Mc-Bride, Gut and Psychology Syndrome,  está disponível para download em inglês aqui.

Entrevista do Dr. Sidney Finegold, autoridade mundial em biologia de bactérias anaeróbicas

Com mais de 60 anos de carreira, sua reputação é reconhecida mundialmente. Professor emérito de medicina, microbiologia, imunologia e genética molecular da UCLA School of Medicine. Atualmente seu foco de trabalho está no papel de bactérias intestinais no autismo; diarreia e colites associadas a antibióticos; e no papel das bactérias intestinais em doenças auto imunes. Ele descobriu que esporos de clostridia se encontram em grandes quantidades em pacientes autistas o que o levou a exploração de espécies bacterianas no autismo e, mais recentemente, a descoberta de uma cepa crucial para a desordem.

Leia aqui.